ESQUECI MINHA SENHA >
Sincodiv
ÍNDICE SINCODIV-SP ONLINE
Seção Entrevista
23/03/2010 - 17:39:27
Bate-papo com Célia Leão, especialista em Etiqueta Empresarial e Marketing Pessoal
Por Célia Leão
Foto: A. Freire Célia Leão, especialista em Etiqueta Empresarial e Marketing Pessoal.

Especialista na área de Etiqueta Empresarial e Marketing Pessoal, Célia Leão iniciou na área de boas maneiras na década de 90 e hoje está entre os principais nomes desta especialidade no país. Autora de famosos livros, como Boas maneiras de A a Z (que se tornou uma bíblia de referência na área) e A etiqueta da sedução, Célia fala de maneira segura sobre diversos aspectos do comportamento.

 

Formada em Turismo e Biblioteconomia, não chegou a exercer tais profissões por muito tempo. Com uma postura muito bem humorada e uma visão crítica da realidade brasileira, Célia conversou com o Sincodiv Online e deu dicas a respeito das boas maneiras em diversas áreas da vida, indo das novas tecnologias digitais até a política, passando, é claro, pelos cuidados à mesa.

 

A seguir você confere a entrevista completa no Bate-papo com Célia Leão.

 

Sincodiv Online: Sua graduação é em Turismo e Biblioteconomia, mas a senhora acabou se tornando um dos maiores nomes da área de Marketing Pessoal e Etiqueta Empresarial. Como essa carreira teve início?

 

Célia Leão: Sim, sou graduada em Turismo, mas nunca cheguei a exercer. Quanto à Biblioteconomia trabalhei na área por muito pouco tempo. Tive de sair antes de entrar em depressão, achava o serviço muito solitário para mim. Aquilo não era, definitivamente, o que eu gostaria de fazer para o resto de minha vida.

 

Um tempo depois, na década de 90, recebi um convite de um amigo para preparar uma palestra para a área de Recursos Humanos e Treinamento de Pessoas e gostei demais do tema. No início me baseei muito em minhas próprias experiências e vivências e acabei descobrindo que sabia bastante do assunto, depois aperfeiçoei o conhecimento. Até hoje, na verdade, é preciso sempre me atualizar. Posso dizer que dei início à essa carreira por acaso, e me apaixonei completamente por ela.

 

Sincodiv Online: Depois de 20 anos de trabalho com executivos e empresários, quais são as dificuldades mais comuns que a senhora identifica nesses dois grupos? Onde apresentam maior resistência à mudança?

 

Célia Leão: Geralmente eles não têm segurança “de guarda-roupa”, ou seja, não possuem boas noções para se trajar de maneira adequada à sua posição. Alguns executivos são de uma geração bem jovem, que já saem da faculdade para comandar pessoas dentro das empresas. Muitos deles, entretanto, não se dão conta de que as roupas que usavam no mundo universitário já não são suficientes e nem adequadas ao ambiente que agora frequentam e, mais ainda, às responsabilidades que assumem quando estão no comando.

 

Além disso, o comportamento à mesa é uma área delicada, em que a grande maioria demonstra, se não um desconhecimento, ao menos, um “receio”. Tanto na postura corporal quanto ao comportamento de uma forma geral, como o uso de celulares à mesa, por exemplo.

 

Sincodiv Online: E dentro desse apelo que existe ao redor da tecnologia hoje, há uma etiqueta adequada em sua utilização?

 

Célia Leão: Sim, existe. Em primeiro lugar, você deve priorizar as pessoas que estão a sua frente, ou seja, dividindo o mesmo espaço. Uma deselegância muito comum é atender o celular constantemente e repetidas vezes quando se está em companhia de alguém. Se a pessoa não está passando por nenhum momento crítico específico, se nenhum familiar ou parente está numa situação de risco em que, a qualquer momento, pode precisar de ajuda, então não existem motivos suficientes para agir desta forma.

 

Conheço pessoas, por exemplo, com as quais quando saio para almoçar, ficam mais tempo ao celular do que conversando comigo. Algumas vezes chego a pensar que, ao invés de convidar a pessoa para almoçar, eu deveria mesmo ligar para ela (risos).

 

Sincodiv Online: E quando somos nós quem ligamos ou mandamos e-mails, quais as boas maneiras?

 

Célia Leão: Algumas regras têm se alterado ao longo do tempo. Como as coisas estão se modificando de maneira acelerada, as regras de etiqueta também devem se adequar. Antigamente, por exemplo, quando iniciamos a utilização de e-mails, a regra era responder a mensagem em até 24h após o recebimento, tempo que hoje é inviável.

 

Ao imaginar a quantidade de correspondência digital que recebemos diariamente entre propagandas, mensagens pessoais e profissionais, vemos que é praticamente inviável lê-las e responder em apenas um dia, ou seja, a aceleração de hoje, e o acréscimo da informação recebida, influenciou no aumento do tempo que se tem para oferecer uma resposta. A dica, porém, está em se desculpar, na própria mensagem, quando ocorrer demora excessiva no retorno.

 

Quanto às ligações, se ligar para um telefone fixo, peça para falar com a pessoa e, assim que ela lhe atender, pergunte se ela tem disponibilidade de conversar com você naquele momento - isso é essencial. Quanto ao celular, por favor, não pergunte quem está falando. Se você ligou no celular de fulano e alguém atendeu, o mínimo que se pode esperar é que seja ele mesmo, caso não seja, a pessoa que atendeu a um celular de outrem é que deve se identificar logo de cara.

 

É preciso dizer também que, apesar do celular ser um dispositivo móvel, a regra de perguntar a disponibilidade de quem atende também é válida. Uma história que me aconteceu exemplifica bem este ponto. Há alguns anos meu pai faleceu e, durante o velório, meu celular tocou. Achando que fosse algum parente querendo chegar ao local eu atendi. Do outro lado da linha era uma mulher que, sem me perguntar nada, começou a me anunciar uma bela promoção de bolsas. Ela não podia saber da minha situação, mas não perguntou minha disponibilidade no momento e acabou cometendo uma gafe e tanto.

 

Sincodiv Online: E quanto aos outros meios de comunicação virtual como o Twitter, Gtalk, Skype, Messenger, etc? A senhora os utiliza? Já existe alguma regra adequada a eles?

 

Célia Leão: Eu utilizo bastante sim, especialmente o Twitter. Acho um canal bem simples e efetivo para compartilhar informações e ter um acesso mais direto às pessoas. Na verdade, ele até tem me ajudado. Como exige mensagens mais concisas, eu treino minha objetividade e depois aplico em meus textos nos outros veículos para os quais escrevo.

 

Quanto às regras, não são muitas, apenas bom senso e escrever corretamente. Sei que a internet, até mesmo por sua velocidade, necessita de uma linguagem contraída e rápida. Entretanto, algumas pessoas confundem escrever de maneira curta com não utilizar regra alguma.

 

Se alguém escreve “vc” significando “você”, não existe problema, mas algumas pessoas invertem letras e escrevem de maneira equivocada sem nenhuma vantagem na facilidade da comunicação ou tamanho da mensagem (trocar “não” por “naum”, por exemplo). Essa regra é mais severa ainda para os e-mails, que não precisam conter contrações desse tipo e, se forem profissionais, nem devem. Não podemos esquecer que um e-mail é uma carta eletrônica e como é dito: uma bela carta encanta, uma ruim espanta!

 

Sincodiv Online: Parte de seu trabalho é assessorar empresários e executivos, quais podemos dizer que são as principais gafes cometidas por eles?

 

Célia Leão: Bem, a priorização do celular em detrimento de quem está pessoalmente com eles é uma das principais falhas. A roupa adequada ao ambiente, como já dissemos, bem como o comportamento à mesa também são áreas em que são cometidos diversos erros.

 

Apesar do período de festas se intensificar apenas ao final de cada ano, nunca é demais recomendar cautela nesses momentos mais informais, por assim dizer. Festejar não significa perder a linha e dar vexame, situação muito comum e, por incrível que pareça, geralmente são os principais gestores e líderes das empresas que cometem estes deslizes.

 

Sincodiv Online: E quando o deslize já foi cometido? Qual a melhor forma de lidar com ele?

 

Célia Leão: Bem, não adianta chorar pelo leite derramado. O melhor a fazer é assumir a responsabilidade por seu feito e agir com transparência, arcando com todos os ônus provenientes de sua atitude. Porém, fica a dica de que não é necessário mandar nenhum tipo de documento formal pedindo desculpas. O tempo faz o trabalho mais pesado para que as pessoas esqueçam o ocorrido. Caso tenha sido um alto executivo ou empresário que cometera a indelicadeza, o essencial é se desculpar com a diretoria da qual faz parte, em uma das reuniões. Pode ter certeza de que a notícia da desculpa se espalha e a imagem melhora pouco a pouco.

 

Sincodiv Online: Existe uma maneira pela qual eles mesmos possam identificar suas falhas e erros e modificá-los? Entre executivos e empresários, qual o perfil mais desafiador?

 

Célia Leão: Uma boa maneira de identificar suas próprias falhas é se manter sempre aberto a opiniões, especialmente aquelas vindas de pessoas que o conheciam antes do poder, por assim dizer. Muitos falam da solidão do poder, eu acredito que o poder só é solitário para quem quer.

 

Além de escutar as pessoas mais próximas a você, saber lidar com críticas e elogios, é também essencial se rodear de pessoas que, de uma forma ou de outra, sejam melhores que você em diversos aspectos. Aprende-se muito dessa forma. Se tudo isso for muito difícil, de início, pode-se iniciar este processo de descoberta observando mais a si mesmo.

 

As pessoas têm uma mania muito ruim de julgar os outros, observar falhas e, pior, avaliar o ser humano pelo que ele possui materialmente, é aí que este conselho cai como uma luva: observe-se, veja a si mesmo! Muitas vezes, nossa aparência está boa, mas o conteúdo não! A grande sacada da elegância é mostrar na aparência aquilo que trazemos como estilo de vida, que temos no âmago, nosso caráter. Estar em desacordo nesse sentido é facilmente identificável pela própria pessoa.

 

Quanto aos perfis, tudo varia muito de acordo com a personalidade deles. No caso dos empresários, eles devem ter consciência de que sua posição exige mais responsabilidade, pois têm executivos sob seu comando e devem dar o exemplo.

 

Sincodiv Online: A elegância, então, se inicia do alto da hierarquia?

 

Célia Leão: Sem dúvida! Muitas vezes sou consultada para trabalhar a educação, etiqueta e elegância dentro das empresas, para que o comportamento ali dentro se torne mais agradável e suave. Nesses casos, a primeira coisa que faço é analisar o comportamento do líder. Para alcançar o patamar desejado de etiqueta e eliminar a grosseria no convívio, é preciso iniciar pelo topo da pirâmide.

 

As empresas que não aceitaram este tipo de técnica tiveram um aproveitamento, um resultado muito pequeno. Já as outras alcançaram um nível de evolução incrível e hoje têm ótimos ambientes de trabalho.

 

Sincodiv Online: Quais os principais problemas que identifica na sociedade brasileira quanto à postura e boas maneiras?

 

Célia Leão: A nossa sociedade é muito tolerante com deselegâncias e pessoas rudes em geral. O problema é que essa tolerância é fruto de uma falta de iniciativa em diversos aspectos, uma postura passiva além da conta.

 

Nossa principal falha está no cuidado que as pessoas têm com tudo o que é coletivo. Temos um povo que ainda é egoísta e insensível com o próximo, isso nos leva a um atraso e tanto.

 

O principal ponto, talvez, seja a nossa falta de ética. A elegância inexiste onde falta ética. A título de exemplo, tivemos uma pesquisa onde cerca de 70% dos participantes populares disseram que, se tivessem oportunidade, também iriam aderir ao esquema de corrupção. Isso é muito triste e eu espero que as coisas mudem, senão quem muda de país sou eu!

 

Sincodiv Online: Já que esse ano tem eleição... e quanto aos políticos? Quais as atitudes desagradáveis da parte deles com a população ou para com os adversários?

 

Célia Leão: Olha, em relação aos eleitores, o pior comportamento é quanto às mentiras que contam sem nenhum peso na consciência, e já sabendo de antemão as promessas que não poderão ser cumpridas.

 

Para com os adversários, sou obrigada a admitir que, nos últimos anos, os ataques pessoais – que eram os maiores problemas de comportamento político entre candidatos - têm diminuído muito e isso é bom, pois há um espaço mais adequado para o debate de ideias, mesmo que não seja utilizado tão bem quanto poderia.

 

Mesmo assim, ainda falta novidade na política, faltam novas maneiras, métodos e, por que não, punição dos corruptos conhecidos?

 

Como eu disse anteriormente, o que há por fora deve combinar com o interior da pessoa. Dinheiro na cueca e nas meias não são boas maneiras de os nossos representantes legais se apresentarem.

 

Sincodiv Online: A senhora também é autora. Entre seus livros, estão o Boas maneiras de A a Z e A etiqueta da sedução. O que motivou as obras?

 

Célia Leão: O primeiro livro surgiu com a ideia de montar uma apostila bem estruturada para as pessoas a quem eu palestrava ou prestava consultoria. Depois de começar a escrever, percebi que deveria se tornar um livro, não só pelo seu tamanho como pela facilidade de consulta para os alunos, além da credibilidade, é claro.

 

O segundo surgiu numa conversa entre amigos, durante um jantar. Conversávamos sobre como existem regras e etiquetas específicas para toda a sorte de temas, mas faltava literatura específica para relacionamentos. Então um amigo me sugeriu que o fizesse e o resultado foi ótimo!

 

Sincodiv Online: E na vida a dois? Ao que se deve estar atento?

 

Célia Leão: A etiqueta de um relacionamento está na sua beleza, no seu romantismo. Acredito que nossa sociedade precise resgatar o cavalheirismo, e as próprias mulheres têm culpa nisso. Atitudes boas, de pequenas gentilezas fazem toda a diferença no dia a dia e não apenas em ocasiões especiais.

 

Quanto aos pontos que merecem atenção, ressalto a maneira de se tratarem. Ouve-se muito apelo à questão da violência, especialmente contra a mulher, mas é necessário lembrar que a violência verbal, muitas vezes, é pior que a física. Estejam, portanto, atentos a isso.

 

Sincodiv Online: Ambos os livros são muito bem aceitos, a que se deve essa “fórmula do sucesso”?

 

Célia Leão: Certa vez uma pessoa me disse que, ao ler meu livro, tinha a sensação de estar conversando comigo, pelo tipo de linguagem usada. Isso me deixou muito satisfeita, pois essa é mesmo a intenção. Acho que a boa aceitação acontece porque são descomplicados.

 

O bom comportamento e a elegância estão calcados em valores muito claros: ser bem informado, culto, simples, ético e ter uma imagem que mostre seu conteúdo. São elementos que formam o conjunto de uma pessoa com etiqueta que, mesmo que não entenda de tudo, saberá se comportar e estará disposta a aprender.

 

Sincodiv Online: Qual é o foco para 2010, afinal?

 

Célia Leão: Este ano carrego a bandeira da etiqueta sustentável. Isso quer dizer que, atualmente, ser sustentável é também parte da elegância e boa conduta. Isso envolve uma mudança de pensamento, que já citei quanto ao comportamento, sobre respeito e, especialmente, ética ambiental e social.

 

Sincodiv Online: Uma última dica ou mensagem?

 

Célia Leão: Para quem quer ser elegante e se comportar de forma adequada, tenha sempre em mente a clássica filosofia de “não fazer aos outros o que não quiser que façam a você”. Além disso, peço que não tolerem grosserias.

 

Ser permissivo demais só aumenta este tipo de comportamento. Contra isso, digo para desarmarem o “grosseiro”. Deixe-o sem ação, evite brigas, peça desculpas. Contra a boa educação ele não poderá revidar de forma alguma e ficará constrangido por seu comportamento.

 

Minha mensagem, na verdade, é um convite. Convido todos a terem uma atitude de gentileza por dia. Segure o elevador para o seu vizinho, dê passagem no trânsito, abra a porta para uma pessoa que está entrando no mesmo lugar que você. Essas pequenas atitudes do dia a dia fazem uma diferença incrível em nossa vida e, depois de uma semana, você notará uma diferença nas suas maneiras. Pequenas gentilezas passarão a fazer parte de seu cotidiano. A sensação de fazer algo bom é ótima e o retorno é garantido. Afinal de contas, a vida é ação e reação.

 

Produção e edição:
Moraes & Mahlmeister Comunicação
Juliana de Moraes e Renan De Simone