ESQUECI MINHA SENHA >
Sincodiv
ÍNDICE SINCODIV-SP ONLINE
Seção Reportagem
30/08/2017 - 15:44:14
Varejo prosperará, mas precisa melhorar no meio online. Evento reúne Abilio Diniz, Nizan Guanaes, CEOs do mercado e autoridades
Por Juliana de Moraes e Matheus Medeiros
Divulgação Abilio Diniz em palestra no evento voltado a empreendedores e profissionais do segmento varejista.

Otimismo. A palavra resume o espírito de grandes varejistas do país presentes no Latam Retail Show – Congress & Expo 2017, que acontece entre 29 e 31/08, na capital paulista, reunindo cerca de 1.400 participantes e com a inscrição de 12 mil visitantes à feira de expositores.

O primeiro dia do evento foi palco de nomes consagrados do varejo, a exemplo dos CEOs da Rede – Itaú, Fernando Chacon; Riachuelo, Flávio Rocha; Boticário, Arthur Grynbaum; Flávio Cotini, do Walmart; e João Pedro Paro, da Mastercard Brasil; além de porta-vozes da política que defendem o fomento de novos negócios como meio principal para o desenvolvimento social, caso de Marcelo Maia, secretário de Comercio e Serviços do MDIC (Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio) e do prefeito da cidade de São Paulo, João Doria.

Enquanto Maia destacou o foco do atual governo nas reformas, em especial a Trabalhista, comemorou o reconhecimento da atividade supermercadista como essencial, um movimento que traz segurança jurídica para o exercício das atividades aos domingos e feriados.

"Responsável por 73% do PIB (Produto Interno Bruto), os segmentos de comércio e serviços de maneira geral são responsáveis por dois terços dos empregos do país e, sim, essenciais à saúde econômica e social nação".   

Já Doria – que foi homenageado pelos organizadores do congresso – valorizou o espírito empreendedor aliado ao trabalho e dedicação como determinantes para o momento atual, em que estão traçadas as linhas gerais para a retomada do crescimento e da geração de empregos. "Não desistir é fundamental!"

É a decisão de hoje que garante o futuro

Nizan Guanaes, fundador do Grupo ABC, e Abilio Diniz, uma referência para o mercado varejista, alternaram-se no palco do evento para abordar o presente e o futuro, cada qual com sua visão, mas ambos unânimes quanto ao fato de que são as decisões do presente que garantirão a perenidade dos negócios. 

"Prefira encarar o futuro de frente porque ele vai chegar até você de qualquer forma", afirmou Guanaes, arrancando risadas da plateia, ao destacar que cinco bilhões de pessoas já estão no meio mobile, número que vem crescendo organicamente cerca de 5% ao ano há mais de uma década.

"Os estudos estão aí para quem quiser ver. Em 2025, todos terão acesso à internet no planeta. Já o comercio eletrônico salta 42% ao ano no mundo. Enfim, mesmo que indicadores como esses carreguem certo exagero, o certo é que esse é um movimento irrevogável, portanto temos de investir nessa área por se tratar de uma necessidade emergente, não uma vontade, como muitos empreendedores tratam a questão", enfatizou o publicitário.

Vendas online não é departamento, está no centro

Guanaes afirma que o Canal Online não é, nem pode ser tratado como um departamento. Faz parte do contexto central dos negócios atualmente. "O que vejo são empresas separando as áreas física e online – como se não fossem da mesma empresa! –, e mais: gerando uma competição (totalmente improdutiva) entre elas", explica, destacando que vive essa situação no próprio Grupo ABC e que o desafio para superar essa questão não é pequeno.

"O mercado digital exige integração, o que, na prática, equivale a construirmos uma nova cultura corporativa, mediante muita disciplina e investimento. O digital, para ser bem feito e com os recursos adequados, não é barato. E o mercado parece não ter entendido isso ainda...", lamenta, chamando a atenção para a necessidade de profissionalização das organizações para uma atuação eficiente no universo eletrônico.

Abilio Diniz, porta-voz do varejo nacional, reforça que os empreendedores da área comercial precisam assumir riscos, por mais que possam parecer assustadores. "Para ser disrruptivos, não precisamos necessariamente inventar, mas atentar ao copiar, adequar e melhorar, observando não apenas práticas de nosso próprio setor, mas de outras áreas, com as quais certamente temos muito a aprender", define.

Ele também chama a atenção para que os líderes pensem em olhar para o espelho quando algo der errado nessa jornada de assunção de riscos, "e nunca pela janela". "Temos que parar de querer encontrar culpados, mas, sim, aprender com os eventos desfavoráveis, tirando deles as lições e força para empreender cada vez melhor".

Como pensa sua organização? Diagnóstico rápido

Guanaes apresentou algumas perguntas que considera fundamentais para que os gestores identifiquem o estágio de desenvolvimento de seus negócios quanto à inserção, cultura e visão para com o comércio online.

- O digital é visto como receita ou despesa em sua corporação?

- Quanto tempo se investe no digital?

- Quem e quantas são as pessoas pensam nessa área em sua empresa?

- Como vejo o mercado nas agências de publicidade e canais de divulgação?

Ao final, destaca: praticar o futuro envolve o fazer agora! E Abilio Diniz ressalta: para o desenho de qualquer estratégia, esteja de mãos dadas com a área de Recursos Humanos, até mesmo – e principalmente – para a contratação do principal executivo de sua organização.

"O diferencial sempre será as pessoas", defende, com o apoio de Fernando Chacon, CEO da Rede – Itaú, que descreve os drivers de escolha dos profissionais e consumidores em seis pontos essenciais:

- Experiência (em todos os pontos de contato);

- Transparência (tem que parecer e ser);

- Relevância (definindo o que é valor e prioridade para a empresa);

- Personalização (nas relações pessoais);

- Inovação (com os clientes internos e externos no centro); e

- Propósito (o sentimento que move para além dos produtos e serviços que a empresa oferece, mas sua intenção para com o meio).

 

Produção e edição

 

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário cadastrado.