ESQUECI MINHA SENHA >
Sincodiv
ÍNDICE SINCODIV-SP ONLINE
Seção Entrevista
09/11/2017 - 16:01:10
Bate-papo com Isabel Macarenco, doutora em Comunicação, coach e especialista em multiplicadores
Por Renan De Simone e Matheus Medeiros
Divulgação Doutora em Comunicação, Isabel Macarenco atua como coaching pessoal e profissional, e como consultora organizacional, além de trabalhar em diversos projetos na Fecap

"Ele deve passar por um trabalho de coaching porque, para ajudar pessoas a se desenvolver, ele precisa se conhecer muito bem. Deve ter uma mentalidade voltada à resolução de problemas complexos; pensamento bem estruturado e saber comunicar essa visão; ser criativo para enxergar alternativas e oportunidades; fazer gestão de pessoas, coordenar suas ações e dos outros; ter capacidade de julgar e tomar decisão; ser orientado para servir e ajudar; entender de negociação e relacionamento; e ter flexibilidade e capacidade para aprender".

As qualidades e habilidades descritas acima poderiam ser exigidas dos principais executivos do mundo, mas a afirmação de Isabel Macarenco, doutora em Ciências da Comunicação pela ECA-USP (Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo), é a respeito de uma figura muito específica dentro das organizações, o multiplicador. E foi para falar dele que o Bate-papo do Sincodiv-SP Online desse mês conversou com ela que é também mestre em Educação pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Isabel atua como coaching pessoal e profissional e como consultora organizacional, além de trabalhar em diversos projetos na Fecap (Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado). Apesar de sua atuação na gestão e treinamento de pessoas, ela teve um início diferenciado, pois é graduada em Sociologia, também pela USP, e iniciou trabalhando na Secretaria de Planejamento do Estado de São Paulo, na década de 1980.

Acompanhe a curiosa e estratégica visão dela sobre as organizações na entrevista completa a seguir:

Sincodiv-SP Online: Isabel, conte um pouco da importância da diversidade em sua carreira, desde sua formação em Sociologia até sua atuação no órgão do estado paulista e outras.

Isabel Macarenco: Essa experiência inicial foi essencial para que eu tivesse uma visão mais estratégica e ampla do funcionamento de tudo, inclusive das empresas, pois trabalhar na Secretaria nos faz atuar com planejamento. Além disso, ainda trabalhei em escolas, me envolvendo muito com professores e processos de aprendizagem; também fui empresária, com quiosques em diversos shoppings de São Paulo; e fiz parte de grupos como o Playcenter, que além do parque possui franquias de espaços recreativos.

Mais tarde, em busca do aprimoramento dos processos de aprendizagem, foi que cursei meu mestrado e doutorado e, a seguir, me certifiquei em coaching, passando a prestar consultoria para empresas, entendendo a grande demanda que há para esse trabalho dentro das organizações, bem como melhoria dos processos de trabalho e necessidade de treinamento. E foi nesse contexto do exercício de consultoria de Recursos Humanos e Comunicação junto às empresas que observei o valor dos profissionais multiplicadores.

Às vezes as coisas parecem desconectadas, mas todas as experiências que tive se encontram hoje para um trabalho mais completo. A visão ampla e estratégica, a experiência com educação e maneiras de "aprender a aprender", a dinâmica de uma empresa de entretenimento e com muitos trabalhadores, minha formação acadêmica, até a Universidade Disney que fiz. Tudo se une hoje em um trabalho sólido e consistente.

Sincodiv-SP Online: Você poderia explicar rapidamente o que é um multiplicador?

Isabel Macarenco: É aquela pessoa que trafega por diversos grupos, tem bom relacionamento e sabe se comunicar de maneira eficiente. Ao contrário do que se pensa, eles não são reprodutores de conteúdos técnicos, apenas. Eles transitam bem pela multidão, e são necessários nas organizações, pois é difícil se comunicar com grupos grandes de pessoas, então é preciso subdividir tais grupos e colocar pessoas chave neles, pessoas que tenham um olhar sistêmico.

Multiplicar tem a ver com produzir com o aprendizado, gerando resultados em uma linha mestra, conduzir as pessoas para que produzam e alcancem metas e objetivos. É uma tarefa de desenvolver profissionais e pessoas e não ser apenas um mensageiro, um repetidor de conteúdo.

Sincodiv-SP Online: Na sua visão, por que os profissionais multiplicadores são tão relevantes para o desenvolvimento de uma organização?

Isabel Macarenco: O multiplicador é uma pessoa com orientação sistêmica, conhece o processo todo. Diferente de alguém que detém um conhecimento técnico específico apenas. O multiplicador não perde a orientação para o todo em nenhum momento de sua atuação. Ele integra as partes da organização, eleva a empatia, facilitando a aproximação interna das pessoas.

Sua função é integrar os grupos internos, promovendo duplas ou grupos de trabalho para compartilhar resultados. Ele tem a ideia de continuidade do trabalho, pois é voltado para o desenvolvimento.

Sincodiv-SP Online: Conhecer os processos e a técnica não são suficientes para que um profissional se torne um bom multiplicador, então? Que outras competências é preciso identificar nesse colaborador?

Isabel Macarenco: Será que já nascemos multiplicadores? Essa é uma ótima pergunta. Obviamente, há mais facilidade para algumas pessoas adquirirem determinadas competências necessárias à posição. Entretanto, independentemente da capacidade profissional, é sempre necessário expandir e aperfeiçoar essa gama de habilidades.

É preciso analisar o que já se possui e como precisará expandir tais conhecimentos. As competências necessárias a um multiplicador, resumidamente, são:

- Ter orientação para o que é ideal para o futuro da empresa e idealizar um caminho. Ele tem de construir a ideia de sempre fazer as coisas de maneira diferente, pois o cenário muda diariamente. Por isso, tem de mostrar a necessidade de adaptação e criatividade;

- É preciso que saiba também organizar as coisas mirando o futuro, analisar o que é certo para alcançar o resultado. É necessária disciplina e controle. Ele tem de pensar diferente, em conjunto e saber que passos dar;

- Fazer acontecer é a terceira competência essencial. Mentalidade realizadora, voltada para ação. Deve agir pensando em eliminar barreiras, ver quem envolver e como viabilizar projetos. Ele vê o como;

- Por último e não menos importante, precisa de comunicação eficiente e que atinja diversos públicos, vendo a necessidade de cada pessoa.

Idealizar, organizar, agir e comunicar, em resumo. Os quatro elementos do multiplicador.

Como ressaltei, ele não é um repetidor de conteúdo, ele é quase um coach. Ele trabalha conflitos de frente, admite que existe um conflito para poder atuar sobre ele e, para isso, tem de ter autoconhecimento.

Sincodiv-SP Online: Quais desafios um multiplicador encontra em seu trabalho?

Isabel Macarenco: Os mais diversos. Quando fazemos a capacitação dos multiplicadores, a ideia é o municiarmos com mais habilidades, não para tirá-lo de sua zona de conforto, mas para ampliá-la. Capacitá-los para pesar o todo e o impacto de suas ações. Isso porque eles têm de estar preparados para conectar pessoas, pensar e agir com sentido integrado.

Grande parte do desafio que os multiplicadores encontram, por exemplo, é como organizar a questão das diferentes gerações dentro de uma empresa. Não se pode separá-las, mas é necessário o trato e o cuidado certo na integração delas, caso contrário a receita pode desandar.

Outro desafio do multiplicador é incentivar a participação do gestor, de um mentor e das diferentes pessoas nos processos. Ele representa a parte educacional do sistema e isso, por si só, já é um desafio gigantesco.

Sincodiv-SP Online: Quem deve ser o responsável por identificar e destacar os multiplicadores? É preciso ser preparado para essa seleção?

Isabel Macarenco: Recomenda-se, sempre, que uma pessoa credenciada e habilitada  faça essa seleção e identifique os melhores candidatos a multiplicadores. O responsável por esse processo pode ser a área de RH. Entretanto, caso não seja possível, um líder, um gestor ou mesmo o dono da empresa pode executar essa tarefa tomando os cuidados necessários.

Em primeiro lugar é preciso verificar o perfil da pessoa, se ela é voltada à teoria, à prática ou ao relacionamento. A seguir, deve-se tentar entender o quanto esses candidatos estão dispostos a preparar outras pessoas, inclusive o quanto estão dispostos a preparar pessoas até mesmo para a função que eles exercem, pois eles têm de ver isso como parte de seu trabalho também.

Recomendo também pedir para que os candidatos façam um texto explicando três razões pelas quais estão participando deste tipo de seleção, pois isso ajuda a identificar um pouco quais são as intenções de cada um.

Pode-se também utilizar ferramentas como testes online que analisem personalidade, dominância cerebral, pontos fortes e etc. O grande problema nesse caso é que, se não houver um profissional credenciado para analisar os resultados obtidos, a escolha se torna muito subjetiva.

Para ler a segunda parte do Bate-papo com Isabel Macarenco, clique aqui

Produção e edição