ESQUECI MINHA SENHA >
Sincodiv
ÍNDICE SINCODIV-SP ONLINE
Seção Reportagem
10/05/2018 - 17:20:05
Lideranças do setor preveem crescimento de vendas ainda mais acelerado no segundo semestre de 2018
Por Matheus Medeiros e Renan De Simone
Sincodiv-SP/Sarro Comunicação

Ao longo do primeiro quadrimestre do ano, as vendas de veículos no Brasil cresceram 17,65% na comparação com o mesmo período de 2017, indicam dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Mesmo com a alta registrada no período, a perspectiva de líderes do setor para os emplacamentos no segundo semestre de 2018 é de evolução ainda mais acelerada. "Nossas expetativas são melhores ainda. Iniciamos um ciclo de crescimento que, embora aquém do verificado no recente passado, será ininterrupto", destaca Luis Eduardo Guião, presidente da Assobrav (Associação Brasileira de Distribuidores Volkswagen).

Segmentos de motocicletas e caminhões também mostram confiança

O presidente da Abracy (Associação Brasileira dos Concessionários Yamaha), Enoir Butzke, também prevê que as vendas de motocicletas cresçam no restante do ano de 2018.

"O segmento ainda está patinando na recuperação, mas nossa previsão é de que as vendas da marca aumentem no segundo semestre do ano, podendo chegar até 10% de crescimento em relação ao ano passado", explica.

As perspectivas para o segmento de caminhões são ainda mais positivas. "Nós entendemos que está havendo uma recuperação mais forte e mais rápida do que aquela inicialmente esperada para o período. Trabalhamos com uma programação antecipada, que indica que fecharemos o ano com aproximadamente 40% de volume superior a 2017", destaca Luiz Carlos Taoni Neto, presidente executivo da Assobrasc (Associação Brasileira dos Concessionários Scania).

O executivo, porém, ressalta que, apesar das altas registradas, o mercado ainda está longe do ideal. "Como a base anterior é muito baixa, mesmo com a recuperação observada, ainda estamos longe do mercado ideal para a sustentação da cadeia com resultados minimamente saudáveis. A própria Rede Scania, por exemplo, já foi capaz de entregar três vezes o volume atual ao mercado, em 2013, então temos capacidade ociosa".

Cenário econômico puxa crescimento

As lideranças do setor são unânimes em apontar a melhora do cenário econômico nacional como principal fator para o crescimento dos emplacamentos no setor automotivo.

"Estamos percebendo um movimento nítido de retomada na economia, o que beneficia o mercado de automóveis, que é muito dependente de crédito. A sucessiva queda da inadimplência para Pessoa Física, que está em 2,5%, favorece a oferta de crédito para financiamento de veículos", aponta Daniel Kelemen, presidente da Abrahy (Associação Brasileira dos Concessionários Hyundai).

Os executivos apontam outros motivos para tal otimismo, como a constante sinalização de queda da Taxa Selic e a realização do Salão Internacional do Automóvel, em novembro deste ano, em São Paulo.

Butze, no entanto, enfatiza que um aumento ainda maior das vendas não depende apenas da melhora do cenário econômico do país. "Também é preciso haver um melhor trabalho das concessionárias, com processos definidos e bem trabalhados e maior profissionalização".

Concessionárias e montadoras se preparam para futuro

Tanto concessionárias quanto montadoras estão se preparando para o futuro em que as vendas aumentem. Entre as ações previstas estão a abertura de distribuidoras, lançamentos de novos modelos e investimentos publicitários.

"Quanto à nossa marca, com os 20 lançamentos que vão ocorrer até 2020, a expectativa não poderia ser melhor. Para o segundo semestre, especificamente, teremos os novos Gol e Voyage com câmbio automático, o Polo e o Virtus automáticos com a motorização 1.6 e o Novo Jetta. Não nos faltam motivos para estarmos confiantes", destaca Guião.

Investimentos publicitários também fazem parte do rol de ações a serem tomadas pelas associações de marca para o crescimento do setor. A Abrahy, por exemplo, prevê que o patrocínio da Hyundai à Copa do Mundo de Futebol será um fator determinante para o aumento dos emplacamentos, já que oferece ampla exposição da marca e favorece a geração de novos negócios.

Já a rede Yamaha, destaca Butzke, está investindo no aumento da produção de motocicletas. "A montadora prevê aumento de 22% na produção no país em 2018. Boa parte disso vai ser absolvido por novos entrantes, já que temos a expectativa de abertura de uma série de novas concessionárias pelo país. Ademais, a montadora também está investindo consideravelmente em treinamentos para os concessionários e vendedores".

Outro ponto fundamental enfatizado pelos executivos é o estreitamento do relacionamento entre rede de concessionários e montadoras. Taoni Neto coloca o planejamento adequado como essencial para esse movimento de recuperação do setor. "Sentamos com o fabricante no final de cada ano e planejamos o ano seguinte, periodicamente, revendo os desvios", explica.

Guião concorda, ao apontar que as discussões também precisam abordar o futuro a longo prazo. "Os executivos da montadora discutem com a Assobrav as ações que tratam diretamente da operação dos concessionários. É o caso, inclusive, do planejamento a longo prazo, em que carros híbridos, elétricos, compartilhados e autônomos estão em nossas discussões permanentes".

 

Produção e edição

 

COMENTÁRIOS:

Nenhum comentário cadastrado.