“Evolução dos carros é resposta natural às necessidades da sociedade”, afirma diretor de Projetos da GM Dalicio Guiguer  
Por Guilherme Alferes e Juliana de Moraes


Felikss Veilands por Pixabay

Palestrante do Seminário Brasil Elétrico, realizado pela AutoData com apoio do Sincodiv-SP, o diretor geral do Programa de Produtos e Planejamento da GM (General Motors), Dalicio Guiguer, avalia que o investimento em tecnologia é um imperativo para o crescimento das empresas de diversos mercados. E não seria diferente no segmento automobilístico.

O executivo abordou as tendências de eletrificação e conectividade dos carros no evento ocorrido em 25/11, na capital paulista, analisando o que ele chamou de disruptividade do mercado e a relutância das empresas e consumidores em relação ao tema. "Em momentos como esse, tendemos a nos agarrar no que temos, mas não podemos deixar de olhar para o futuro", contrapõe.

De charretes a automóveis: o caminho da consciência social

Guiguer ilustrou a situação atual comparando a outros momentos da história. Em 1900, nos Estados Unidos, o meio de transporte majoritário era formado por charretes e cavalos, mas já em 1913 os centros urbanos do país foram dominados pelos automóveis, que só consolidaram seu papel desde então.

A justificativa para esse fenômeno foi de que, além dos benefícios trazidos pela evolução tecnológica para o transporte, as necessidades da sociedade norte-americana da época vinham mudando. A adoção de automóveis foi uma resposta às grandes quantidades de excremento de equinos nas cidades, o que causava doenças, mau cheiro e atraía pragas.

Assim como nos anos de 1910, o modo de produção e consumo hoje se preocupa ainda mais com questões climáticas, ambientais e de saúde, portanto é natural que haja a busca de materiais e matrizes energéticas limpos e sustentáveis, com impacto direto da transformação da forma como nos locomovemos, por exemplo.

Metas da GM

De acordo com o diretor, a meta da GM é zerar, além do número de emissão de gases poluentes, os acidentes e congestionamentos. Ou seja, a eletrificação de automóveis vem acompanhada de outras tecnologias para melhorar a segurança e a mobilidade, sendo esse um caminho sem volta.

Para reduzir o número de colisões, a empresa aposta na autonomia do veículo, como a frenagem autônoma e o alerta de colisão. De acordo com pesquisa do Instituto de Segurança Rodoviária dos EUA, houve uma redução de 40% do número de colisões traseiras graças à frenagem autônoma.

Para reduzir os congestionamentos, o objetivo é reduzir a quantidade de carros em circulação, investindo em tecnologia de compartilhamento de veículos, como faz a startup ligada à GM, Maven.

O pensamento parece contraditório vindo de uma empresa que desenvolve, fabrica e vende veículos, mas Guiguer acredita que "logo não vai depender de quantos carros a empresa vende, mas sim de quantos quilômetros esses carros rodarão".

A decisão de investir em veículos elétricos, para Guiguer, vem ao encontro de maior sustentabilidade à mobilidade, mas além de tudo é técnica, para que no futuro a montagem industrial seja mais simples, com menos peças.

Já para o consumidor, a vantagem também é grande, financeiramente falando, pois comparando veículos elétricos, como o Bolt - carro chefe da categoria - com convencionais, os elétricos precisam carregar suas baterias – processo que em si já é muito barato – com  menos frequência que outros precisam abastecer, uma vez que ela tem uma vida útil muito maior que um tanque.

O carregamento das baterias, segundo pesquisas da empresa, poderá ser feito nas residências dos proprietários, nos estacionamentos e em Postos de Recarga Rápida, que serão parecidos com os postos de gasolina atuais, para viagens intermunicipais.

Conectividade

Outro ponto importante citado na participação de Dalicio Guiguer foi a conectividade dos veículos. A empresa vem, há alguns anos, investindo neste campo, desde a instalação do Bluetooth à tecnologia On-Star, cuja finalidade é o monitoramento e notificação automática em caso de acidentes e roubos de veículos.

A mais nova atualização buscada pela empresa é a instalação de Wi-Fi nos carros, o que fará com que facilite a utilização dos demais recursos. De acordo com executivo, logo haverá aplicativos próprios para os carros também. "E, quando as cidades forem inteligentes, os carros estarão conectados a elas", ressalta, indicando que essa integração é o futuro.

Produção e revisão

Voltar

Nenhum comentário



Nenhuma foto


...(omitted for brevity)...