Como cuidar da Saúde Ambiental das empresas. Guia para Retomada Pós-Covid 19
Por Luiz Henrique Lopes Vilas*


Suthin Samankit por Pixabay

A quarentena imposta ao mundo inteiro para conter o avanço do novo coronavírus trouxe novos hábitos que devem ser incorporados ao dia a dia por toda a sociedade de forma indefinida, mesmo após o fim do isolamento social.

Assim, é conveniente que todos os procedimentos e cuidados levados em conta durante o período da quarentena, considerada um laboratório de boas práticas de higiene e saúde, devem ser transportados para dentro das empresas, tornando os lugares mais higienizados, organizados e limpos.

Com a retomada das atividades, as concessionárias devem estar preparadas para novos desafios de forma a garantir não apenas a saúde de colaboradores e clientes, mas também a saúde ambiental das empresas, temas totalmente interligados.   

A ideia deste artigo é abordar algumas dicas no cuidado com a preservação do meio ambiente em forma de um guia prático para uma retomada segura e responsável na Era inaugurada pelo novo coronavírus.

Em primeiro lugar, é muito importante conhecer imediatamente a situação da empresa em relação ao meio ambiente, o que pode ser feito por meio de um diagnóstico rápido e online, bastando para isso responder a um questionário com 14 perguntas, disponível aqui.

O lixo

Durante o período de isolamento, um dos hábitos adquiridos pela população diz respeito ao manuseio do lixo, a forma de separar, reduzir a sua quantidade, reutilizar e reciclar o que for possível.

No ambiente corporativo, é igualmente recomendável o descarte de lixo, entulhos, materiais ou arquivos que já não servem mais. É hora de desapegar das coisas do passado que perderam sua utilidade no tempo e investir na organização, deixando os espaços e lugares mais limpos, com os resíduos devidamente separados.

O trabalho de separação de resíduos, efluentes e descarte correto de peças começa com a conscientização dos colaboradores. Os funcionários precisam desenvolver a cultura da preservação do meio ambiente, começando com atitudes simples e, a partir daí, fazer desse exercício uma constante no seu local de trabalho.

Dentre os principais itens que impactam a saúde ambiental da empresa, destaco: óleo lubrificante usado; embalagens usadas de óleo lubrificante novo; efluentes misturados com químicos e derivados de petróleo; resíduos perigosos em geral (panos, papelão e peças contaminadas com óleo e químicos em geral), resíduos recicláveis em geral (plásticos, papeis, embalagens, sucatas); baterias e emissões de gases e particulados.

Para amenizar o impacto desses produtos no meio ambiente, é necessário observar a maneira como são descartados. E o primeiro passo é fazer a separação seletiva, identificando e separando o lixo (reciclável do perigoso).

Como proceder nos casos de:

- Efluentes misturados com óleo: instalar canaleta, direcionando esses efluentes para a Caixa Separadora de Água e Óleo (SAO), e depois, realizar monitoramento com limpeza semanal e manutenção de seis em seis meses. 

- Óleo lubrificante usado: ao retirar do carro, utilizar um funil e armazenar o conteúdo num recipiente. Outra dica é manter na empresa pisos cimentados, não porosos, que não absorvem o óleo, facilitando a limpeza e sem prejudicar o solo e o visual.

- Panos sujos de óleo e graxa: podem ser reutilizáveis, recolhidos por uma lavanderia especializada e homologada para lavar esse tipo de material, como roupas e panos contaminados por óleos. Além disso, podem também ser descartados e, para isso, é preciso contratar empresa que faça destinação final adequada desses resíduos.

- Embalagens usadas de óleo novo: direcionar ao Programa Jogue Limpo da sua cidade/região, que além de gratuito, é super organizado;

- Resíduos Perigosos: contratar empresa que faça a destinação final adequada desses resíduos (panos, papelão e peças contaminadas com óleo e químicos em geral);

- Peças usadas: é conveniente que se tenha um local separado e coberto para o armazenamento, até que sejam recolhidas pela empresa contratada para esse fim.

A destinação correta

Sempre exija o Certificado de Destinação Final (CDF) da empresa que coleta os resíduos (perigosos/recicláveis) para segurança e garantia de que o resíduo foi realmente recolhido por pessoal credenciado e com a destinação final adequada. Documente todo o material retirado da sua empresa. Vale lembrar que esses documentos devem ser arquivados por, no mínimo, cinco anos.

Como essa atitude faz parte de um processo de educação, é importante que o gestor invista em estrutura e treinamento de seus funcionários.

Por fim, é relevante sempre monitorar a gestão ambiental, garantindo o controle desses processos, o que pode ser feito por meio da criação de indicadores para cada item e, a partir disso, comparando o antes e o depois do processo. Dessa forma, diminui-se o desperdício, minimizando os riscos, o que naturalmente maximiza a saúde ambiental da sua empresa.

 

*Gestor Ambiental, Economista, Mestre em Meio Ambiente e Sustentabilidade, Doutor em Business Administration (FCU-Flórida/USA). Professor da Universidade Fenabrave, fundador da Startup AutoVerde (Plataforma de Inteligência Artificial para monitoramento ambiental online) e presidente da Ouro Verde Meio Ambiente e Negócios Sustentáveis (www.ovma.com.br) desde 2002.

 

Produção e edição

Voltar
...(omitted for brevity)...