Diretor do Centro para Liderança Criativa defende capacidade de pessoas ágeis em palestra no Conarh 2018
Por Mirella Freitas e Matheus Medeiros


Conarh

"Pessoas ágeis têm a capacidade de entender a lógica do que deve ser feito, mesmo que não tenham, previamente, as ferramentas necessárias para fazê-lo. E isso acaba moldando o que chamamos de agilidade de aprendizagem, já que elas buscam os meios para superar tais desafios, acumulando mais lições em sua bagagem".

A frase acima foi dita por George Hallenbeck em palestra realizada durante a edição 2018 do Conarh (Congresso Nacional de Recursos Humanos), que ocorreu entre 14 e 16 de agosto, na capital paulista.

Atual diretor do CCL (Centro de Liderança Criativa), organização internacional presente em três continentes, e coautor do livro "Agilidade de Aprendizado: Descobrindo Lições de Experiência" (na tradução livre do inglês), Hallenbeck estudou afundo o desenvolvimento da agilidade de aprendizagem em determinadas pessoas. E, em sua palestra, contou que, para atingir um alto nível de aprendizado, é preciso sair da zona de conforto e confrontar a experiência.

"Dentro deste processo, existe uma sensação de desconforto que chamamos de vale de aprendizagem. Significa que, em um determinado momento, passar por altos e baixos e deixar a zona de conforto para enfrentar novos desafios ajuda numa nova abordagem para a situação seguinte", disse o palestrante.   

O especialista ainda deu dicas de como se encaminhar para este tipo de visão. "Você deve estar pronto para enfrentar problemas com uma nova visão, aprender uma informação rapidamente e demonstrar um alto potencial no trabalho em que está envolvido".

Altos profissionais x altos potenciais

Em palestra extremamente interativa, Hallenbeck ainda apontou as diferenças entre altos profissionais e altos potenciais. "Altos profissionais podem ser identificados por quererem ser bons em apenas uma coisa ou acharem somente uma solução para um problema. Já altos potenciais não têm medo de se arriscar e encarar situações problemáticas e sempre tentam procurar diversas soluções para o problema em si", destacou.

A identificação desses altos potenciais numa empresa é uma experiência desafiadora, explicou. "Cabe a nós, líderes, encontrar os altos potenciais, aqueles que se destacam! Para isso, precisamos de um olhar apurado e muita observação".

O palestrante enfatizou que, por mais que que tenham um perfil parecido, altos profissionais e altos potenciais possuem maneiras diferentes de aprendizagem. E certos comportamentos podem ajudar a identificar uma pessoa com alto teor de agilidade para um aprendizado.

"Quando nos deparamos com um alto nível de potencial, podemos perceber a busca por um novo problema e a procura por um sentido para este problema que está sendo enfrentado".

No final de seu discurso, o especialista brincou com a plateia, dando uma dica para as pessoas conseguirem diferenciar os dois tipos de pessoas com mais facilidade. "Os altos profissionais gostam de exibir diversos diplomas na parede. Por outro lado, altos potenciais podem ser identificados por um passaporte gordo, com vários carimbos de viagens".

 

Edição e revisão

Voltar
...(omitted for brevity)...