Funilaria, Pintura e Meio Ambiente. Os cuidados que as concessionárias devem ter
Por Luiz Henrique Lopes Vilas*


Jose Augusto Camargo por Pixabay

Não é de hoje que a interferência do homem e do desenvolvimento econômico no meio ambiente estão na agenda de toda a sociedade. A diminuição do impacto na natureza é assunto em pauta na maioria dos setores industriais, particularmente, no universo automotivo, ao qual se atribui grande parcela de culpa na emissão de poluentes na atmosfera.  

Na verdade, essa conscientização ecológica partiu das montadoras e tomou força em toda a cadeia automotiva. Começou nos salões do mundo inteiro com protótipos ecológicos, combustíveis alternativos e outros meios de preservação. Os fornecedores, fabricantes de peças, pneus e combustíveis assumiram a mesma posição. Agora, as concessionárias também aderem à causa devido à importantíssima função de manutenção e reparação de veículos.

Hoje em dia, mais do que uma questão social, a preservação ambiental se transformou em questão de saúde pública e legal: o cerco para quem não respeita as leis de preservação ambiental está apertando e pode gerar muito prejuízo em multas e processos com penas mais severas.

Neste mês, daremos especial atenção à área de Funilaria e Pintura, avançando no conhecimento da Gestão Ambiental Eficaz e Responsável.

Funilaria e Preparação para Pintura

Recomendo sua instalação em local coberto que pode ser aberto (ou fechado com alvenaria e portas), possuindo boa ventilação natural, com:

- Piso e rodapé impermeabilizados (concreto ou material resistente à ação de óleos, fluidos, etc.) e sem rachaduras, para evitar a contaminação do solo por produtos e líquidos diversos, manipulados ou provenientes de eventuais derramamentos de tintas e produtos químicos;

- Paredes em alvenaria, revestidas.

No lixamento do veículo e peças de reposição a seco, em área fechada, é conveniente que o material particulado proveniente dos trabalhos nos veículos e peças seja coletado por sistema de ventilação exaustora eficaz, dotado de equipamentos de controle para limpeza do ar, evitando que atinja as áreas anexas e a vizinhança e prevenindo a poluição atmosférica.

No lixamento úmido (tradicional, em área aberta) indico que os efluentes da lavagem do piso e a borra (água e material particulado) sejam coletados por canaleta com grelha no piso, sendo o efluente escoado até a caixa de decantação (ficando o resíduo armazenado para retirada posterior), interligada a rede de efluentes.

Solda e lanternagem

É recomendável sua instalação em local coberto e fechado, com:

- Piso e rodapé impermeabilizados (concreto ou material resistente à ação de óleos, fluidos, etc.) e sem rachaduras, para evitar a contaminação do solo por produtos químicos e líquidos diversos;

- Paredes em alvenaria, revestidas, divisórias (painéis) metálicas e cortinas adequadas, visando à proteção das pessoas, e áreas próximas. Em função de ocorrer à geração de fumos metálicos, em pequena escala, é recomendável uma boa ventilação natural.

Cabine de pintura e estufa

É recomendável sua instalação em local coberto e fechado, com:

- Piso e rodapé impermeabilizados (concreto, epóxi ou material resistente à ação de óleos, fluidos, etc.) e sem rachaduras, para evitar a contaminação do solo por produtos químicos e líquidos diversos, manipulados ou provenientes de eventuais derramamentos;

- Paredes em alvenaria revestidas (cerâmicas, chapas metálicas galvanizadas, etc.) divisórias e portas, até o forro;

- Uso de forro metálico!

Devido à existência de partículas em suspensão, odores e vapores (tintas e solventes), sugerimos que sejam retiradas do ambiente de trabalho por ventilação exaustora dotada de equipamento de controle para limpeza do ar, evitando assim que sejam atingidas as áreas anexas e a vizinhança, prevenindo a poluição do ar.

Convém lembrar que os equipamentos de controle, dotados de filtros de ar (carvão ativado), devem remover solventes do ar.

Especialmente, no que tange à estufa, deve ser evitada a utilização de óleo diesel ou óleo combustível para a geração do calor no local. No lugar, recomendo que se adote refletores de calor elétrico, uma opção menos desfavorável ao meio ambiente.  

Mês que vem

No próximo mês, darei especial atenção à área de Armazenamento de materiais e lixos (resíduos), avançando no conhecimento da Gestão Ambiental Eficaz e Responsável.

Acompanhe a leitura e tire o melhor proveito possível desses dias difíceis e excepcionais que atravessamos. Essa fase vai passar e precisaremos estar mais preparados do que nunca para a retomada do setor.  

 

*Gestor Ambiental, Economista, Mestre em Meio Ambiente e Sustentabilidade, Doutor em Business Administration (FCU-Flórida/USA). Professor da Universidade Fenabrave, fundador da Startup AutoVerde (Plataforma de Inteligência Artificial para monitoramento ambiental online) e presidente da Ouro Verde Meio Ambiente e Negócios Sustentáveis (www.ovma.com.br) desde 2002.

 

 

Produção e edição

Voltar
...(omitted for brevity)...