Liberação de crédito para CDC e leasing tem alta de 19% em 12 meses
Por Juliana de Moraes e Renan De Simone


De janeiro a julho de 2017, os bancos de montadoras e as instituições financeiras independentes liberaram R$ 54,1 bilhões para as operações de CDC (Crédito Direto ao Consumidor) e leasing voltados à compra de veículos, de acordo com a Anef (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras).

No ano passado, nesse mesmo período, o valor foi de R$ 45,4 bilhões, portanto o montante referente aos sete primeiros meses de 2017 representa uma alta de 19% em 12 meses.

"Os indicadores econômicos estão mais estáveis, o que gera maior previsibilidade e confiança nos consumidores. Por isso, pouco a pouco as pessoas estão retornando à rede de concessionárias. Hoje, os consumidores estão mais conscientes e tendem a contrair dívidas somente com razoável segurança de que conseguirão honrá-las", avalia o presidente da Anef, Luiz Montenegro.

Julho de 2017

O volume de financiamentos em julho somou R$ 8 bilhões, o terceiro melhor resultado do ano – abaixo apenas de março e maio, quando foram concedidos empréstimos de R$ 8,3 bilhões e R$ 8,2 bilhões, respectivamente.

No mês, houve queda na taxa de inadimplência nas operações de CDC. Entre as pessoas físicas, o índice foi de 4,2%, 0,2 ponto percentual a menos do que em junho e 1,2 ponto percentual menor em relação ao mesmo período de 2016.

Para as pessoas jurídicas, a taxa foi de 3,7% em julho, com queda de 0,1 ponto percentual em relação ao mês anterior e de 1,5 ponto percentual em doze meses.

Juros

Em julho, as entidades associadas à Anef cobraram juros de 20,98% ao ano e 1,6% ao mês, enquanto os bancos independentes trabalharam com índices de 24% e 1,81%, respectivamente. O prazo médio das concessões é de 42 meses. Já o prazo máximo oferecido pelos bancos é de 60 meses.

Saldo das carteiras

Por fim, o saldo das carteiras em julho atingiu R$ 161,9 bilhões, volume 0,2% superior ao registrado no mês anterior, mas 3,5% inferior na comparação com o mesmo período de 2016. Desse total, os financiamentos respondem por R$ 158 bilhões (volume 0,2% superior a junho e 3,0% inferior em doze meses) e o leasing pelos R$ 3,9 bilhões restantes (mesmo volume atingido em junho, mas recuo de 20,4% em doze meses).

Edição e revisão

Voltar
...(omitted for brevity)...