Líderes precisam estabelecer relação de transparência com funcionários
Por Mirella Freitas e Matheus Medeiros


Sincodiv-SP/Sarro Comunicação

Pesquisa realizada pela consultoria BambooHR com profissionais que se demitiram de seus empregos recentemente indica que 44% dos entrevistados colocam a liderança tóxica, que lhes tirou a motivação de trabalho, como principal causadora para o pedido de demissão.

Para Adriana Zappala, psicóloga e profissional de RH especializada em Coaching pelo ICI (Instituto de Coaching Integrado), os líderes da atualidade precisam desenvolver novas competências, principalmente no que tange ao relacionamento com seus liderados. "Em plena era da Indústria 4.0, as competências dos líderes são diferentes daquelas que as empresas costumavam procurar nas últimas décadas", enfatiza.

Alessandra Caramico, CEO do Grupo Cia de Talentos, concorda com a afirmação, destacando que muitas empresas ainda cometem o erro de promover profissionais para cargos de lideranças sem avaliar se eles têm as habilidades necessárias para gerir outras pessoas.

"É comum vermos pessoas alcançando cargos importantes de liderança sem nenhuma aptidão para o assunto. Posições ‘operacionais’ e de lideranças exigem competências diferentes e as companhias precisam levar isso em conta", pontua.

Transparência é essencial

Segundo Alessandra, entre as habilidades essenciais para um bom líder estão conhecer os valores, políticas e estratégias da empresa e praticá-los de maneira "limpa" e confiável, a partir de uma relação de confiança com seus colaboradores.

Para isso, a transparência é essencial. De acordo com pesquisa conduzida pela Universidade do Estado da Flórida, 39% dos funcionários afirmam que seus gestores não cumprem as promessas estabelecidas, o que faz com que a qualidade do trabalho executado caia drasticamente.

"Quando há uma relação de honestidade, a comunicação entre ambos se torna mais leve, mesmo quando o líder não aceita bem uma crítica. A transparência é o estopim para que a relação entre gestor e funcionário se dê em termos de confiança", aponta Adriana.

Relação de confiança é construída a partir de autonomia e segurança

Dentro desse contexto, um dos principais erros cometidos por líderes que são considerados "tóxicos" está relacionado com a má comunicação estabelecida com os colaboradores.

Ainda de acordo com a pesquisa da Universidade do Estado da Flórida, 27% dos funcionários afirmam que seus líderes fazem comentários negativos sobre seu desempenho, tirando-lhes a motivação de trabalho.

"Esse tipo de relação entre gestor e colaborador afeta o psicológico de ambos e a empresa acaba por presenciar momentos de apagão de talentos e até mesmo presenteísmo – que é quando o funcionário está no trabalho de ‘corpo’, mas sem nenhuma produtividade. Cabe ao líder estar atento a isso e procurar lidar com as pessoas da forma correta", explica Adriana.

Alessandra destaca que essa relação de confiança deve se basear nos propósitos de cada um. "O líder deve realizar uma gestão exemplar, procurando motivar seus colaboradores e alinhar seus ideais com os dos funcionários. Para isso, é preciso saber lidar com a diversidade do time, buscando minimizar os conflitos. Dar autonomia e segurança para o trabalhador é essencial na construção dessa relação de confiança.", afirma a psicológica.

 

Edição e revisão

Voltar
...(omitted for brevity)...