Mercado Paulista da Distribuição - Outubro de 2020
Por Sincodiv-SP


O Mercado Paulista da distribuição fechou o mês de outubro apresentando evolução positiva de 5,1% frente ao mês anterior, de acordo com dados compilados pela FENABRAVE, observando-se uma queda de 15,4% em relação ao mesmo mês no ano anterior.

No acumulado de janeiro à outubro de 2.020 foram registrados 565.514 emplacamentos, em comparação com o mesmo período de 2.019, quando foram emplacadas 805.986 unidades, registrando-se queda de 29,8%. A participação do mercado paulista sobre o nacional no mês de outubro foi de 23%, enquanto a média do acumulado do ano é de 20,4%.

Na análise do SINCODIV-SP os volumes crescentes de emplacamentos vêm reafirmando o reajuste do mercado à nova realidade. Essa melhora é consequência de vários fatores positivos: a manutenção da taxa básica de juros em um nível baixo gerou uma melhora nos índices de inadimplência que, por sua vez, aumentou a oferta de crédito para todos os segmentos, elevando a confiança do comprador em efetivar sua compra.

Abaixo, relatório de dados do Mercado Paulista da Distribuição - Outubro/2.020.

Números do Mercado Nacional

 
Números do Mercado Paulista

Segundo os dados divulgados pela FENABRAVE, o Mercado Paulista da distribuição fechou o mês de outubro com uma evolução positiva de 5,1% frente ao mês imediatamente anterior.

Em relação ao mesmo mês do ano anterior, observamos uma queda de 15,4%.

 No acumulado de janeiro a outubro de 2020 foram registrados 565.514 emplacamentos, em comparação com o mesmo período de 2019, quando foram emplacadas 805.986 unidades, observamos uma queda de 29,8%.

A participação do mercado paulista sobre o nacional no mês de outubro foi de 23% enquanto a média do acumulado do ano e de 20,4%.

Os volumes continuam em um movimento de normalização ao longo do tempo. “Os volumes crescentes de emplacamentos vem reafirmando o reajuste do mercado à nova realidade. Essa melhora é consequência de vários fatores positivos. A manutenção de taxa básica de juros em um nível baixo gerou uma melhora nos índices de inadimplência, que por sua vez aumentou a oferta de crédito para todos os segmentos, fazendo com que a confiança do comprador melhorasse, retornando a efetivar sua compra.” comentou Sincodiv-SP.

Voltar
...(omitted for brevity)...